Adriana Ancelmo deixa Bangu e promete “abrilhantar” circuito de prisões domiciliares do Leblon

A dama do rubizão

 

LAÇOS DE FAMÍLIA – “Já fui primeira-dama do Estado. Agora serei a rainha do circuito Manoel Carlos pós-Lava Jato”, afirmou Adriana Ancelmo, parceira de Sergio Cabral, ao ser liberada do complexo penitenciário de Bangu. Uma decisão do STJ autorizou Ancelmo a cumprir o resto de sua pena em prisão domiciliar. De acordo com a promoter Alicinha Cavalcanti, amiga da ex-detenta, o plano é “transformar a pena num penacho, num pavão inteiro”.

Para celebrar a volta ao lar, as amigas de Ancelmo organizaram uma recepção de boas-vindas. O convite especificou que todas as convidadas deveriam trajar tornozeleiras estilizadas e “dar uma dançadinha” caso uma delas apitasse, “para que ninguém se sinta constrangido”. Entre as recomendações também constava um alerta contra o porte e o consumo de peças das joalherias H. Stern e Antonio Bernardo.

Ao se despedir das convidadas, a ex-primeira dama contou que ficou muito tocada quando conheceu as condições de vida de detentas com filhos pequenos e anunciou que se dedicará à luta por joias mais dignas para as mães e suas crias. “Ao usar materiais baratos, muitas delas desenvolvem alergias, doenças de pele, pobreza e até mesmo fome. É realmente um flagelo.”

Esta entrada foi publicada em Sátira e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Adriana Ancelmo deixa Bangu e promete “abrilhantar” circuito de prisões domiciliares do Leblon

  1. Fátima disse:

    Mau caratismo é mesmo flagelo sem cura !

Comente

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.