Bolsonaro nomeia coronavirus no lugar de Weintraub: “Mais rápido em fechar universidade”

Conciliador, o coronavirus já começou a xingar Drauzio Varella no Twitter para dar continuidade à obra de Weintraub

WAJNGARTENGATE – Reviravolta em Brasília. Qual Gabigol no final da Libertadores, o presidente Jair Bolsonaro marcou dois gols em menos de cinco minutos na tarde dessa sexta-feira 13. Primeiro, comunicou o país que ele não está contaminado com o coronavírus. Depois, para surpresa geral da nação, ainda anunciou que a partir de hoje o Covid-19 passa a dar expediente no Ministério da Educação, no lugar de Abraham Weintraub, o famoso paciente zero do vergonhavirus.

“O Weintraub falou que ia acabar com essa coisa de universidade pública aí, tá ok?”, explicou Bolsonaro. “Mas já passou um ano e os maconhistas continuam fazendo balbúrdia na UFRJ. Então botei essa porra desse corona aí pra mandar no MEC, que o cara prometeu fechar tudo já na semana que vem. É Brasil acima de tudo, álcool gel pracima de todos.”

Além das medidas relacionadas ao MEC, o coronavirus também deixou sua marca em mais uma ala do governo. O ex-ministro da Casa Civil, ex-articulador político, ex-dupla de truco, ex-BFF, ex-companheiro de pescarias e ex-amigo do presidente, Onyx Lorenzoni, foi colocado em isolamento ainda mais profundo pela cúpula do planalto: “Isso daí a gente fez por precaução mesmo. Achamos que quarentena era pouco seguro e vamos colocar o Onyx em observação por 7 anos num quarto sem comunicação com o mundo exterior. É para o bem de todos.”

Esta entrada foi publicada em Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.