Bolsonaro pede ao STF para poder gravar disco anti-STF com Sérgio Reis

Carlos Bolsonaro faz participação especial com tuítes musicados que parecem letras de Djavan

SERTANEJO REACIONÁRIO – “O pessoal aí não fica falando que eu subo o tom toda hora? Então, agora vou mostrar que canto em qualquer tom, tá ok?”, explicou o presidente Jair Bolsonaro em coletiva de lançamento de sua nova crise institucional artística em parceria com o cantor, ator e fantoche Sérgio Reis. “O Sérgio ameaça o congresso e o STF que é uma maravilha e ainda toca berrante, que é bom pro gado. Então essa união estava escrita nas estrelas.”

“Chefe Supremo das Forças Armadas & Reis” é o nome artístico da dupla que deve bombar nos próximos meses. O disco, batizado de “Não tenha Dó se o Brasil vai de Ré” tinha lançamento marcado para o dia 7 de setembro, mas foi adiado por tempo indeterminado. “Por causa desse adiamento estamos entrando com esse recurso no STF. Mas assim, na paz, se os juízes não quiserem liberar tudo bem, longe de mim pressionar, eu não quero ser mal interpretado”, disse Reis em entrevista concedida à Polícia Federal.

“Enquanto isso a gente vai colocando as músicas só nas cadeias de rádio e televisão”, revelou Bolsonaro. “Quer dizer, cadeia não que o Sérgio tá traumatizado com isso daí. Vai tudo por Whatsapp mesmo. Não tem aquele negócio lá de o artista tem que ir onde o gado está? Então é isso daí.”

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.