Bolsonaro proíbe aglomeração em igreja pra contrariar decreto bolsonarista de João Doria que permite aglomeração em igreja

Para irritar ainda mais o presidente, Doria anunciou a construção de uma fábrica de coletes à prova de balas da marca Ralph Lauren em São Paulo – Foto: Reprodução/Twitter

FALHA NA MATRIX – Mais novo defensor da ciência no Brasil, o presidente Jair Messias Bolsonaro – o famoso Oswaldo Cruz de Rio das Pedras – assinou um decreto, hoje de tarde, instituindo o lockdown em templos e igrejas. A reviravolta sanitária foi uma reação de Bolsonaro ao decreto assinado horas antes pelo governador de São Paulo, João Doria – o NeoBolsonaro da Faria Lima -, que havia permitido a realização de cultos em igrejas e templos, mesmo diante do quadro dramático da pandemia no país.

“Esse Doria daí é um genocida negacionista calçapertadista, tá ok?”, provocou o sanitarista Bolsonaro, aproveitando para criticar a condução do general Pazuello na pasta da Saúde. “No tocante a isso daí, o cara confundiu Amapá com Amazônia! É tipo quem confunde airsoft com software. Eu por mim botava logo o Doutor Fauci de ministro, mas ele não é do Centrão e nem do Exército, aí complica.” Em seguida, Bolsonaro ofereceu uma vacina para uma ema do Alvorada.

A nova atitude de Bolsonaro não deve ficar restrita somente ao decreto. Para esta semana, o presidente já marcou a inauguração de um novo instituto de pesquisas científicas, o Butantop, além de assinar a compra das vacinas da Pfizer. Ele também agendou uma reunião conciliatória com a embaixada da China e uma conversa séria sobre responsabilidade e atitudes de adulto com Carluxo Bolsonaro, seu filho Zero Dois. Caso Doria revogue o seu decreto negacionista, todos os planos acima estarão automaticamente cancelados.

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.