Com Bolsonaro, Brasil inova na perfuração de fundo de poço

As sondas para perfurar a nova camada serão feitas de nióbio

BRASIL PROFUNDO – A decadência da Petrobras, após inúmeros escândalos de corrupção, fez com que o futuro de tecnologias de escavação ficasse incerto no país. Neste domingo, porém, ao participar de uma manifestação pró-ditadura com palavras e tossidas de ordem, o presidente e explorador Jair Bolsonaro provou que o caminho do país em profundezas abissais pode ir muito além do que a camada de pré-sal.

“Todo mundo achou que o Brasil estava acabado. Mas brasileiro não desiste nunca e vamos provar para os globalistas que temos muito a descer ainda, tá ok?”, disse o presidente, ao revelar que suas escavações encontraram reservas intocadas de desgosto, violência e burrice. “Já tá mais que provado que esses três elementos juntos geram o melhor combustível pro Twitter, pro Facebook e pro WhatsApp. Então por que não usar no lugar do petróleo? Até porque o barril não tá valendo mais nada.”

A Petrobras informou que o poço de Olavus – como foi nomeado – fica sob um aterro sanitário, e colado a um emissário submarino de esgoto onde são despejados todos os tuítes de Carlos Bolsonaro, os atos políticos de Ernesto Araújo e os erros de português de Abraham Weintraub. “O lugar é de uma tal riqueza orgânica que ele consegue fazer a vida recomeçar do zero. Foi lá, por exemplo, que surgiu o homo anti-sapiens, o famoso ser humano que já vem lobotomizado de fábrica, com uma mutação que o faz desejar um AI-5 contra si mesmo”, explicou um biólogo especializado no entrelaçamento genético de humanos com gado.

Esta entrada foi publicada em Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.