Depois de emprego em empresa ligada à Odebrecht, Moro compra triplex desvalorizado no Guarujá

Moro exibe calendário com a data de leilão de sua vaga de padrinho de casamento de Carla Zambelli

NEGÓCIOS & OPORTUNIDADES – “Era um desejo antigo da minha conje, senhora Rosângela Wolff Moro, de ter um apartamento na praia. E esse estava no mercado fazia um tempo, ninguém comprava, então por que não aproveitar?” A explicação foi dada nesta manhã pelo ex-juiz da Lava Jato, ex-ministro do governo Bolsonaro e ex-desempregado Sérgio Moro, para justifcar a compra de um tríplex no Guarujá. “O antigo proprietário me disse que o apartamento era bom, mas que poderia estar inventariado num processo no STF. Respondi a ele: ‘In Fux we trust!’, e já paguei a primeira parcela.”

A compra veio logo após o anúncio de que Moro vai assumir um alto cargo no escritório Alvarez & Marsal, que cuida da recuperação judicial da construtora Odebrecht, da OAS, da Queiroz Galvão e da Sete Brasil, todas investigadas na Operação Lava Jato. Há boatos de que o ex-juiz também pretende prestar consultoria para uma empresa de pedalinhos, além de comprar um lote de ações da Petrobras. “Prezado, eu não estou à venda, mas as ações estão”, disse Moro, ao ser perguntado sobre um possível conflito de interesse. “Não há motivos para pedidos de escusas. Situação normal. Segue o jogo.”

Fontes revelam que o próximo passo do escritório Alvarez & Marsal é a contratação do procurador Deltan Dallagnol para cuidar de contas ligadas à Microsoft, empresa que fabrica o software Powerpoint. “Eu pretendia investigar casos de corrupção, mas o ex-patrão do ex-ministro Moro disse que a corrupção no Brasil acabou”, lamentou Dallagnol.

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.