“Destino de todo mundo”: Para aquecer o turismo, governo troca praias do Nordeste por cemitérios

COVIDTUR – “It’s everyone’s destiny!”, “So what?”, “Come enjoy our HidroxiCaipirinha!”. Essas foram algumas das frases mencionadas hoje pelo cultivador de laranjas e ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, durante a apresentação da campanha “Morte: destino de todo mundo”, lançada pelo governo Bolsonaro para fomentar o turismo no Brasil.

“Ontem o presidente Bolsonaro celebrou essa marca de 30 mil mortes pela Covid lembrando que a morte é o destino de todo mundo”, explicou Álvaro Antônio. “Então me pareceu natural aproveitar essa oportunidade de mercado num momento tão crítico, de reconfiguração dos destinos turísticos.” O ministro contou que a partir de agora, toda publicidade do governo com imagens de praia do Nordeste, floresta amazônica, tribo indígena, ou carnaval será substituída por fotos de cemitérios. “É algo que o governo até já fazia na prática, e que agora será aproveitada como estratégia de turismo.”

Quem louvou a nova campanha do governo foi o ministro da Economia e Eugenia, Paulo Guedes: “Tava todo mundo saudável, empregada saudável, uma festa danada. Pera aí! Vai aí pra um cemitério em Foz do Iguaçu, vai ver um cemitério em Cachoeiro do Itapemirim.” O Ministério da Economia e Eugenia, que já celebrou o impacto positivo do coronavírus na previdência, afirmou, por meio de nota, que a pandemia também pode ajudar o país na área cambial: “O dólar e o real valem a mesma coisa para quem está morto, o que tranquiliza a população da Faria Lima.”

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.