Exército aposenta cal e passa a usar leite condensado pra pintar meio-fio

O governo também pretende gastar outros 15 milhões de reais em Toddy para misturar com o leite condensado caso haja necessidade de tinta marrom

PÁ DE CAL – “De amarga já basta a vida, tá ok?”, provocou o presidente Jair Bolsonaro, ao ser questionado sobre a iniciativa do Exército de passar a usar leite condensado no lugar de cal para pintar o meio-fio dos quartéis. “A fábrica que fazia a cal foi adaptada pra fazer a cloroquina, então tivemos que nos adequar a isso daí. Eu mesmo cedi parte do meu próprio estoque pra ajudar.”

A mudança no procedimento veio após a divulgação de dados que mostram que o governo gastou 15 milhões de reais na compra de leite condensado – o que equivale ao consumo de 7 200 latas por dia, quantidade suficiente para matar todo o contingente do Exército de diabetes. “Todo mundo sabe que o leite condensado era mandado para os soldados no campo de batalha durante a Segunda Guerra Mundial. E a gente não tá em guerra contra o STF, a ONU, a OMS, o MST, a ideologia de gênero, o Rodrigo Maia, a vacina, o Drauzio Varela, o Biden, o Moro, o Huck, a Pablo Vittar e a hemorróida? Então pronto, caso encerrado”, prosseguiu Bolsonaro.Além do leite condensado, o Executivo ainda gastou dois milhões de reais em chiclete e cinco milhões em uva passa. “O brasileiro não reclama do arroz com passas? Pronto, já não tem arroz, e agora não vai ter mais passa no mercado. Isso aí é patriotismo, tá ok?”. Fontes indicam que o governo passou um filtro de photoshop sobre o valor despendido com o KY gel que será distribuído ao povo.

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.