Franz Kafka lança versão de Metamorfose em que Moro acorda no corpo de um ministro do STF

“Franz Kafta vira no túmulo e na grelha”, ironizou o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub

REPÚBLICA DE CURITCHECA – “Quando certa manhã Sérgio Moro acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num ministro virtuoso do Supremo Tribunal Federal”. Assim começa a nova versão do clássico “A Metamorfose”, de Franz Kafka, psicografado pelo médium da igreja lavajatista Deltan Kardec, que conta a história do juiz Sérgio Moro num universo paralelo em que ele nunca participou do governo Bolsonaro.

“A ideia do livro é mostrar o que estaria acontecendo hoje com o juiz Moro caso ele não tivesse abandonado a toga para virar ministro de um governo que ele ajudou a eleger”, contou o médium da primeira Vara de Grampos, Delações e Adaptações Literárias. “Nesse universo paralelo, o meritíssimo juiz acordaria hoje com o seu nome sendo indicado, no lugar do desembargador Kassio Nunes, para uma vaga no Supremo. A Lava-Jato também não seria extinta pelo governo que prometera acabar com a corrupção. Enfim, liberdades literárias.”Caso o romance faça sucesso, o médium Deltan Kardec já pretende psicografar um segundo remake de Kafka, o clássico “Carta ao Pai”, em que o personagem Moro culpa seu pai por todos os males do país, acreditando que basta apeá-lo de suas funções – nem que para isso o pátrio poder seja exercido por um miliciano do condado de Rio das Pragas – para que a felicidade suprema seja instaurada. “Só não vou psicografar ‘O Processo’, porque esse acabaria sendo derrubado pelo Augusto Cury. Quer dizer, Augusto Aras.”

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.