Rachadinha americana: Steve Bannon fez workshop com coach brasileiro Fabricio Queiroz

Fontes afirmam que a prisão de Bannon é apenas uma ação de marketing para o lançamento da nova série “Better Call Wassef”

ATIBAIA D.C. – A relação entre Steve Bannon – o ex-assessor de Donald Trump preso hoje nos Estados Unidos acusado de embolsar o dinheiro para a construção de um muro na fronteira do México – e Fabricio Queiroz – o faz-tudo-tudo-mesmo do clã Bolsonaro – está sendo investigada pela PF brasileira, pelo FBI, pela CIA, pela KGB, pela Scotland Yard e pelos Detetives do Prédio Azul. Indícios mostram que Bannon e Queiroz começaram a trocar dicas de rachadinha quando o brasileiro foi contratado para dar consultoria na construção do famigerado muro americano. O serviço logo evoluiu para uma saudável amizade e uma parceria na exploração de gatonet e botijão de gás na região de San Diego.

“Sou um cara de negócios. Eu faço dinheiro”, explicou Queiroz sobre como chegou a Steve Bannon. “Compro, revendo, compro, revendo, compro muro, revendo muro, sempre fui assim. Gosto muito de comprar muro em seguradora, na minha época lá atrás, eu comprava um muro, mandava arrumar, revendia para um terreno grilado na Muzema. O Bannon achou que esse meu know how poderia ser útil lá com a mureta dele e do Trump contra essa corja de latino-americanos.” O muro seria construído em 48 paredes de 2 mil tijolos cada.

Questionado sobre o envolvimento de seu ex-braço direito com Bannon, o presidente Jair Bolsonaro respondeu: “E daí? Isso é exportação de tecnologia brasileira, pô! É bom pra balança comercial. Vamos lançar em breve o programa Milícia Sem Fronteiras justamente pra esse tipo de coisa daí, tá ok?”

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.