Eduardo Pazuello se inspira em Marina Abramovic para depoimento na CPI

A obra já integra o acervo permanente do MAM, o Museu de Arte Miliciana

SILÊNCIO DOS CULPADOS – “O milico está presente. Quer dizer, ausente.” Esse é o nome da performance que o general da ativa e ex-capacho da Saúde, Eduardo Pazuello, pretende apresentar na próxima semana à CPI (Contemporary Performance Institute) instaurada pelo Senado para investigar os crimes de Bolsonaro na condução da pandemia de Covid-19.

“A obra do enfant terrible das artes Eduardo Pazuello será uma releitura da icônica performance ‘O artista está presente’, em que Marina Abramovic passou três meses sentada em silêncio diante do público do MoMA, o Museu da Arte Moderna de Nova York”, explica o texto do curador Markinhos Show. “Será uma apresentação visceral, intensa, que promete embrulhar o estômago, mas com um carinho.”

Depois de agitar colecionadores do eixo Muzema-Vivendas da Barra, a expectativa é de que a apresentação de Pazuello seja refeita no circuito Papuda-Bangu das artes. Seu empresário, Frederick Wassef, afirma que existe também o plano de um retiro do artista em uma propriedade isolada em Atibaia.

Esta entrada foi publicada em humor, Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.