Juízes vão ganhar auxílio-greve

“Quando o caso é grave, o caso é greve!” bradou Fux no megafone recém-adquirido pelo STF

“Quando o caso é grave, o caso é greve!” bradou Fux no megafone recém-adquirido pelo STF

 

BARRICADA DO STF – “Você já viu o preço de um megafone hoje em dia? Sabe quanto custa mandar fazer faixas, camiseta, alugar carro de som?” Com essas palavras o ministro Luiz Fux justificou a aprovação do auxílio-greve para juízes federais que farão parte da mobilização que tenta barrar o fim do auxílio-moradia aos magistrados. “É também uma forma de indenizar os servidores pelo constrangimento que eles estão passando e pela dor que eles vão sentir de ficar um dia sem servir ao país”, completou Fux.

O novo penduricalho dos salários dos juízes vai ter valor equivalente ao auxílio-moradia de cada magistrado. “É um jeito de compensar a falta de ajuste no benefício”, disse o juiz Sergio Moro, beneficiado do programa “Meu Auxílio Minha Vida”. O pagamento deve se estender até o fim de dezembro e pode ser renovado em caso de nova greve.

Na mesma sessão em que foi batido o martelo favoravelmente à paralisação dos juízes, foi julgada como ilegal a greve dos motoristas particulares que vão levar os togados para as linhas de frente dos piquetes. “Temos que manter a ordem. É um de cada vez, senão vira bagunça”, sentenciou Fux.

Esta entrada foi publicada em Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente