Moro ordena condução coercitiva de filme da Lava Jato ao Oscar

Melhor ator

 

REPÚBLICA DE CURITIBA – Na madrugada desta segunda feira, o juiz federal Sergio Moro se dirigiu ao aeroporto internacional de Guarulhos, em posse de um rolo do filme Polícia Federal: A Lei é Para Todos, e supervisionou o embarque da película no voo São Paulo – Los Angeles.

Incumbido de transportar a preciosa carga, o ator Marcelo Serrado, que interpreta o magistrado paranaense no longa-metragem, afirmou que “faria tudo isso que estou fazendo por livre e espontânea vontade, mesmo que não estivesse sendo coagido”.

Segundo a ordem de condução coercitiva expedida por Moro, “o maior filme brasileiro, desde Limite, de 1931, deve ser conduzido a Hollywood. Lá chegando, deve ser levado ao Oscar, que então deve conceder uma miniatura de si mesmo ao portador, que trajará paletó, camisa social e gravata pretas”.

Acusado por diretores de beneficiar o filme em que é retratado de maneira “arbitrária e partidária”, Moro procurou se eximir da críticas. “Se eu fosse realmente tucano, como dizem por aí, teria escolhido o filme Bingo, que reconta a história de Aécio Neves”, afirmou o juiz enquanto ajustava a gravata de Marcelo Serrado.

Esta entrada foi publicada em Sátira. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Comente